Kuan Yin - Deusa da compaixão e da misericórdia

Leave a Comment

Kuan Yin - Deusa da compaixão e da misericórdia | Wicca, Magia, Bruxaria, Paganismo
Read it in English!
  • Atribuições: Senhora do karma, Deusa da compaixão, da misericórdia e do amor incondicional.
  • Símbolo: Dragão, Flor de Lótus, Tigre Branco, Jarro com água
  • Local: China 
Ilustração de Kuan Yin e Lung Nu
Kuan Yin e Lung Nu, filha do Rei Dragão
Na religião budista, a Deusa Kuan Yin é venerada por milhões de pessoas e considerada como o símbolo máximo da pureza espiritual. Durante séculos ela simbolizou o grande ideal do budismo Mahayana e era destinada a se tornar um Buda, mas renunciou ao atingir o Nirvana pois ouviu os gritos de sofrimento das pessoas da Terra, decidindo permanecer para ajudar aqueles em necessidade durante o tempo que fosse necessário.

Seu mito de origem possui incontáveis versões e variações e talvez o mais conhecido seja o de que Kuan Yin nasceu como princesa, chamada Miao Shan e desprezada pelos pais por ser a terceira filha mulher. Seus pais arranjaram um casamento com um homem rico, porém Miao Shan nunca gostou da ideia, pois desejada seguir a vida em busca de iluminação espiritual através de meditações.

Seu pai a enviou a um convento budista, mas solicitou que Miao Shan fosse maltratada e que tivesse de fazer todas as tarefas pesadas, na esperança de que ela se arrependeria e voltaria à seu palácio. Contudo, sua estratégia não funcionou e Miao Shan continuou a meditar e elevar seu espírito.

Furioso, seu pai ordenou que Miao Shan fosse morta. Ao ser levada para a floresta por soldados, Miao Shan sabia o que a esperava, mas mesmo assim não demonstrou medo e manteve-se tranquila. Momentos antes de sua morte um enorme tigre branco surgiu, derrubando os guardas e levando Miao Shan para o submundo onde ela se deparou com o Senhor da Morte e com diversas almas em sofrimento eterno. Ao pedir misericórdia ao Senhor da Morte, as almas foram libertadas.

Após retornar à superfície, Miao Shan continuou a levar sua vida tranquila e meditativa.

Um dia ela recebeu a notícia de que seu pai havia adoecido. Para curá-lo, Miao Shan ofereceu um de seus braços e um de seus olhos. Contudo, seu pai ainda continuou doente. Miao Shan então ofereceu seu outro braço e seu outro olho. Seu pai, curado, se arrependeu de tudo o que fez a sua filha e então, milagrosamente, Miao Shan foi perfeitamente restaurada e atingiu a iluminação, se tornando Kuan Yin.

Contudo, Kuan Yin desejou permanecer na Terra até que todas as almas que necessitassem de ajuda fossem ajudadas e atingissem a iluminação.

Kuan Yin também é conhecida como Guanyin ou Quan Am. No Japão ela é retratada como Kwannon, Deus da misericórdia. Com a mistura das culturas na Ásia, muitas vezes Kuan Yin e Tara são retratadas como sendo a mesma Deusa, porém cada uma possui simbologias diferentes.

A Lei do Karma

Atualmente Kuan Yin é considerada a senhora do karma, podendo interceder favoravelmente no momento da morte e transição de qualquer ser senciente. Karma (ou carma) significa literalmente “ação” em sânscrito, palavra também adotada por diversas religiões ao redor do mundo.

A lei do Karma é aquela que ajusta o efeito a sua causa. Todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida irá nos trazer boas ou más consequências para esta ou para as próximas vidas.
 Essa lei nunca muda e é conhecida em várias religiões como “justiça celestial”.
Kuan Yin também intercede por todos aqueles que estão passando por momentos difíceis nos quais precisam de apoio espiritual.



Invocando Kuan Yin

Lembrete:
Dentro da Wicca não existem regras e nem receitas prontas para invocar nenhuma Deusa. O ritual de invocação parte de dentro de cada um. Porém, ao vermos os mitos e símbolos de cada Deusa, podemos sugerir formas de invocá-las. Lembre-se também de checar nosso Calendário para datas festivas, eventos e curiosidades.
Não há uma regra para o momento ou maneira que você irá inserir Kuan Yin em sua vida. Invocá-la pode ser através de práticas de amor e de solidariedade, de um mantra ou até mesmo de uma oração.
O que importa é sua conexão constante com a Deusa para sentir sua presença e perceber seus milagres.

O método mais tradicional para conectar-se com ela é através de um mantra, um conjunto de sons, sílabas ou palavras que são capazes de transformar sua mente, corpo e espírito.

Om Mani Padme Hum 

Esse mantra foi repetido por milhões de pessoas ao redor do mundo durante séculos e as próprias palavras contêm uma poderosa e mágica energia. Escreva e pronuncie este mantra vagarosamente, se concentrando nos sons que saem de si como uma conexão física a essa energia divina que tem sido utilizada há séculos.

É recomendado, se possível, que o mantra ou oração sejam feitos usando um japamala (Japa = repetição; Mala = cordão ou colar), um rosário de 108 contas, para maior concentração, ritmo e para não trazer pensamentos indesejáveis.

Tarot da Deusa

Tarot da Deusa Carta XII Kuan Yin
Kuan Yin é uma das Deusas presentes no Tarot da Deusa. A carta número XII, Kuan Yin, representa o Sacrifício.

Homenageada como a santa mãe da compaixão, Kuan Yin é uma das Deusas mais adoradas da China. Ao invés de se permitir gozar as delícias do paraíso, Kuan Yin jurou nunca deixar a Terra até que o último ser humano estivesse livre da dor, sacrificando-se pelo bem maior de todos.

Santuário Lunar apps | Magia, Bruxaria, Wicca, Paganismo


Faça o download e instale gratuitamente nosso app no seu aparelho Android e descubra com qual Deusa você precisa meditar diariamente!