Cailleach - Deusa do inverno e dos fins

Leave a Comment

Cailleach - Deusa do inverno e dos fins | Wicca, Magia, Bruxaria, Paganismo
Read it in English!
  • Atribuições: Deusa do inverno, da proteção dos animais, da sabedoria 
  • Símbolo: Pedras, montanhas, desfiladeiros, gatos, coelhos 
  • Local: Irlanda, Escócia e Inglaterra 
Ilustração representando CailleachA Deusa Cailleach (pronuncia-se cai-lâk) é uma das mais antigas divindades associadas com a cultura Celta, sendo talvez a mais antiga que se tenha conhecimento na Irlanda. Não é possível saber como ela era venerada ou por quem, uma vez que os Celtas chegaram àquelas terras por volta de 2000 anos atrás, levando seu próprio panteão de Deuses e Deusas e reconheceram Cailleach como antiga, já naquela época.

Ela é muito poderosa e importante pois não desapareceu como outras incontáveis divindades, significando que seu poder ainda está presente nas terras que uma vez foram dedicadas à ela.
Seu nome, em tradução livre do irlandês e do escocês significa “bruxa” ou "mulher velha" e do Galês significa "aquela que usa um véu" e ela é conhecida por possuir enorme sabedoria, por proteger e vigiar toda vida selvagem (assim como Ártemis) e por punir os caçadores que matavam fêmeas grávidas, estrangulando-os com seu cabelo, portanto também responsável pelo fim da vida.

Algumas lendas a associam também com Brigid e suas bênçãos à agricultura e fertilidade da terra, apesar de sua aparência ser muito diferente. Contam que Cailleach é uma idosa de pele negra-azulada com somente um olho na testa que demonstra intensa paixão. Seus dentes são vermelhos e o cabelo é branco como a neve que cobre o topo das montanhas. Em sua mão direita ela possui uma varinha ou martelo que usa para transformar a grama em gelo durante o inverno e também responsável por construir montanhas e desfiladeiros. Diversos lugares na Irlanda e na Escócia são associados à Cailleach, como Cean Caillí (Cabeça de Bruxa) na Irlanda, que é a imagem que ilustra o post; Sliabh na Caillí (Montanha da Bruxa) também na Irlanda e Ben Cruachan na Escócia. Na primavera ela não conseguia suportar o sol, então jogava a sua varinha à sombra de uma árvore sagrada e transformava-se em uma pedra cinza para esperar o próximo outono, quando retornava à sua forma original.

Deusa da renovação

Cailleach é tão antiga que um de seus poucos mitos contam que ela criou a terra jogando pedras de seu vestido. Ela está sempre conectada à terra similarmente à Gaia, podendo também ser considerada como o próprio ciclo da vida, trazendo o inverno para destruir e renovar.

Na Wicca podemos associá-la com a Face oculta da Deusa, pois ao mesmo tempo que ela destrói, deixa a terra preparada para o renascimento.

Por ser a Deusa relacionada com o Inverno e com recomeços, Cailleach está intimamente ligada ao Sabbat Samhain e é justamente nesta noite que ela acorda de seu sono e volta a caminhar livre pelas terras.

Siga e ouça gratuitamente Trismegistia no Spotify


Invocando Cailleach

Lembrete:
Dentro da Wicca não existem regras e nem receitas prontas para invocar nenhuma Deusa. O ritual de invocação parte de dentro de cada um. Porém, ao vermos os mitos e símbolos de cada Deusa, podemos sugerir formas de invocá-las. Lembre-se também de checar nosso Calendário para datas festivas, eventos e curiosidades.
Reconhecer Cailleach pode ser um passo para reconhecermos nosso próprio potencial. Para isso devemos destruir a concepção que temos de nós mesmos para que assim possamos nos renovar.

Itens necessários:

  • Pedras 
  • Tecido vermelho 
  • Maçã verde 
  • Espelho 
  • Papel e caneta 
  • Alimentos que goste (o mais natural possível) 
Colete uma variedade de pedras para decorar seu altar. Uma boa maneira de fazer isso é sair para dar um passeio em um bosque, praia ou uma área rural. Sinta os cheiros, escute os barulhos, aprecie a natureza ao seu redor enquanto faz o passeio. Não pegue qualquer pedra que encontrar, deixe essa seleção ser um canal com o qual a Deusa conversa com o seu “eu” mais interior.

De volta ao seu altar, abra um círculo e coloque as pedras na disposição que achar melhor. Corte a maçã verde ao meio e coloque-a em cima do tecido vermelho. Invoque os elementos como normalmente faria e encare-se no espelho. Pergunte a si mesmo(a): quais qualidades você identifica no reflexo? Inteligência? Curiosidade? Serenidade? Anote-as em um papel.

Mantenha esses pensamentos em silêncio.

Comece então a apreciar a pessoa que você é e se tornará futuramente, apreciando as qualidades que escreveu e fortificando-as no dia a dia. Procure mudar os traços que não gosta, persistindo nessa renovação e procurando sempre sua felicidade.

Feche o círculo e invoque Cailleach, agradecendo-a pela força que te deu.
Celebre após com alimentos que goste, sucos de frutas, queijo e a própria maçã verde que cortou...
Celebrações nos lembram que o melhor da vida é um tempo de refinamento, bom gosto e grande poder.