Durga - Deusa da Proteção e Mãe do universo

Leave a Comment

Durga – Deusa da Proteção e Mãe do universo | Wicca, Magia, Bruxaria, Paganismo
Read it in English!
  • Atribuições: Deusa da força e da proteção, mãe do universo 
  • Símbolos: Fogo, leões, vasilhas com arroz, colheres e itens amarelos em geral 
  • Local: Índia 
Durga – Deusa da Proteção | Wicca, Magia, Bruxaria, Paganismo
Essencialmente, todas as Deusas são diferentes representações da mesma divindade para os hindus, sendo chamada apenas de “Deusa” ou “Devi”. Talvez a mais importante e mais poderosa encarnação no hinduísmo seja a Deusa Durga, que aparece com muitas faces e muitos nomes em várias ocorrências de sua mitologia. Ela é representada normalmente como uma bela mulher com 3 olhos e oito ou dez braços, segurando uma arma divina em cada mão.

Seu olho esquerdo representa o desejo (lua), o direito representa a ação (sol) e o central representa o conhecimento (fogo). O surgimento de Durga remete a muitos anos atrás, quando o demônio* Mahishasura ganhou um favor de Shiva após longa penitência. O demônio pediu ao Deus uma benção que fizesse com que ele não pudesse ser morto por nenhum homem ou Deus, e esse desejo foi concedido com certa desconfiança.

Como se considerava imortal, Mahishasura começou seu reinado de terror, atacando a terra e até mesmo a morada dos Deuses. Muitos foram mortos impiedosamente numa guerra que durou cem anos. Derrotados e com medo, os Deuses procuraram refúgio junto a Brahma, que os levou a Shiva e Vishnu. Enquanto o feito dos demônios era narrado, uma poderosa energia emanou de seus corpos, iluminando os três mundos (físico, astral e causal).

Essa energia concentrou-se em um ponto e tomou forma da Deusa. Seu rosto era iluminado como o de Shiva. Seus dez braços eram como os de Vishnu. Seus pés eram como os de Brahma. Seu cabelo foi formado a partir da luz de Yama e seus seios foram formados a partir da luz de Somanath.

A cintura veio de Indra, pernas e coxas de Varun, o quadril de Bhoodev, os dedos dos pés de Surya e os dedos das mãos de Vasus. Seu nariz formou-se da luz de Kuber, os dentes de Prajapati e seus três olhos de Agni. Suas sobrancelhas vieram dos dois Sandhyas e as orelhas vieram de Vayu.

A partir da energia dos outros Deuses, Durga surgiu, sendo presenteada por eles com objetos para combater Mahishasura, pois era a única que podia derrotá-lo.

E assim ela montou em seu leão e o fez, em uma batalha que ferveu oceanos e destruiu continentes.

*Os demônios, na cultura Hindu, são chamados de “asura”, o que se traduz em “antideus”, antagonistas dos “sura”, ou Deuses.

Deusa da proteção

A palavra “durga”, em sânscrito, é traduzida como um forte ou local que é difícil de cair. Os Hindus acreditam que a Deusa Durga protege seus devotos do mal e da miséria do mundo.

Ela carrega diversos objetos em sua mão, dados a ela pelos Deuses quando foi combater um antigo asura. São eles:


  • Chakram: Dado por Naryana, ele gira ao redor do dedo indicador da Deusa sem jamais tocá-lo. Simboliza a justiça ou dharma. 
  • Concha (ou búzio): Dado por Varuna, simboliza a palavra “Ohm”, um mantra que indica uma conexão com o divino através do som. 
  • Arco e flecha: Dados por Surya, representam energia. Durga os segura na mesma mão, demonstrando seu poder sobre energia potencial e cinética. 
  • Trovão: Dado por Indra, essa arma simboliza firmeza de espírito. O trovão pode destruir onde cai sem ser afetado, e assim deve ser o devoto de Durga, vencendo seus desafios sem perder confiança em si próprio. 
  • Flor de Lótus: A flor não está totalmente desabrochada na mão da Deusa, simbolizando uma certeza de sucesso futuro, o acordar da consciência espiritual. A lótus é uma flor que consegue nascer em meio à sujeira (e seu nome em sânscrito, “pankaja”, significa isso), e isso representa o devoto que consegue se elevar espiritualmente em meio as adversidades. 
  • Espada: Dada por Yama, esse objeto representa conhecimento e intelecto afiado. A Deusa usa a espada para cortar o véu da ignorância que prende alguém a ações erradas e karma. 
  • Lança: Dada por Agni, a lança destrói a negatividade e garante prosperidade. 
  • Maça: Presente de Vishwakarma, essa arma atinge qualquer inimigo, independentemente de sua defesa. As bênçãos de Durga ajudarão quem a procura a derrotar qualquer ameaça. 
  • Tridente (ou Trishul): Presente de Shiva, é um símbolo dos três Gunas (três qualidades em um humano): Satvva (força criativa), Rajas (manifestação) e Tamas (inércia). Os Gunas representam um triângulo de forças opostas e complementares, equilibrando a existência. Durga consegue dar a coragem necessária para lutar com seus males a alguém que está fora de sincronia com alguma dessas qualidades. 

A Deusa também recebeu um leão de montaria como presente do Deus Himavat. Esse animal representa poder, vontade e determinação; sendo a montaria de Durga, isso representa o domínio da mesma sobre essas qualidades e sugere ao devoto que é necessário possuí-las para libertar-se do ego.

Diversas encarnações

Todas as Deusas são diferentes encarnações da mesma divindade dentro do hinduísmo, então, no fim, todas se encontram na Deusa Mãe Durga. Podemos citar entre essas encarnações: Kali, Sarasvati, Lakshimi, Bhagvati, Parvati, Bhavani, Maya, Java, Ambika, Laulita... São diversas Deusas, e ao mesmo tempo, uma só divindade, compartilhando atributos e devoção de um povo.

Durga também possui nove aspectos (que também são divindades por si só) que são homenageados durante os nove dias de seu festival, no mês de setembro. São eles: Skondamata, Kusumanda, Shailaputri, Kaalratri, Brahmacharini, Maha Gauri, Katyayani, Chandraghanta and Siddhidatri.

Além dessas diversas “existências”, Durga também possui muitos nomes: 108 exatamente.
Eles aparecem nos textos de Durga Saptashat (ou Chandi), antigas escrituras em sânscrito que narram a história da batalha da Deusa contra Mahishasura.

Durante os dias do festival Durga Puja, seus devotos rezam à Deusa em seus 108 nomes, assim como Shiva fazia para agradá-la.



Siga e ouça gratuitamente Trismegistia no Spotify



Invocando Durga

Lembrete:
Dentro da Wicca não existem regras e nem receitas prontas para invocar nenhuma Deusa. O ritual de invocação parte de dentro de cada um. Porém, ao vermos os mitos e símbolos de cada deusa, podemos sugerir formas de invocá-las. Lembre-se também de checar nosso Calendário para datas festivas, eventos e curiosidades.
O principal festival à Deusa, o Durga Puja, acontece no final de setembro. Seus devotos agradecem à Deusa por seus feitos e pedem que continue oferecendo proteção. Durante os 6 dias do festival são feitos diversos rituais para diferentes aspectos, e qualquer um que queira demonstrar devoção à Deusa pode realiza-los, porém é importante estudá-los, assim como o festival em si, para que sejam executados corretamente.

Abaixo você pode encontrar um simples ritual para pedir proteção à Deusa, não necessitando de um estudo muito aprofundado.

Recomendamos que o ritual seja feito durante a Lua Crescente ou Lua Cheia, para que os resultados cresçam.

Itens necessários:
  • Vela
  • Incenso
  • Vasilha de arroz com colher
  • Símbolo de Durga (opcional, caso queira trabalhar algum aspecto mais aprofundado de si mesma(o). Para trabalhar o aspecto desejado, utilize algum símbolo que remete à arma equivalente carregada pela Deusa)

Não importando o período do dia, faça o ritual em um local calmo.

Acenda a vela e o incenso, meditando sobre seu pedido.
Você pode utilizar o mantra de Durga para facilitar a meditação:


"Om Dum Durgayei Namaha" que significa "Om e saudações à energia feminina que protege contra todas as formas de energias negativas"

Chame por Durga e lhe agradeça pela proteção que ela concede diariamente, peça para que continue assim.

Agradeça novamente e deixe vela e incenso queimando.

Pode consumir o arroz ou enterrá-lo.

Sempre que quiser, acenda a vela novamente, remetendo seus pensamentos à Deusa para que ela lhe proteja sempre.